"@mor" - Daniel Glattauer



Bem-vindos ao século XXI - acreditem, nossa história terá muito haver com isto.
Vocês já deram uma olhadinha na caixa de email, hoje? Provavelmente, né? E é aí, que quero chegar.
Antigamente, nossos  bisavós, avós e,até mesmo, nossos pais escreviam cartas e as trocavam com seus amigos, parentes e amores.Entretanto, essa realidade mudou e, tudo ficou mais fácil.Hoje, se quisermos falar com alguém do outro lado do mundo,basta mandar um mensagem online, falar no Skype ou deixar um recadinho na Inbox do Facebook. Entretanto, até onde estamos nos deixando levar pelos relacionamentos virtuais? 

E é nesse clima que @mor nos é apresentado.Com uma linguagem maravilhosa, mensagens próprias de internet e uma estética adequada ao email, você não irá desgrudar dessa obra por nada, uma vez que, estará envolvido com uma realidade semelhante à sua.


 Tudo começa com um email enviado por engano. Emmi Rothner quer cancelar a assinatura de uma revista, porém acaba enviando o pedido para o email de Leo Leike, ao invés de, mandar para a editora LIKE. Um erro com muitas consequências, vale constar.

Por vezes, ela persiste no engano, até que Leo se manifesta e lhe informa o mal entendido. Contudo, nas festas de final de ano, Emmi envia saudações para Leike.Todavia, as conversas não param por aí.Com diálogos bem formulados, ambos começam a se intisgar com a personalidade forte e humor satírico dos dois.A comunicação, então, se estende, por horas a fio a cada dia, e a sua falta se torna impossível. 

Leo e Emmi haviam criado ideais sobre a aparência dos dois e, não queriam arriscá-los com um encontro real, que poderia estragar a ilusão da perfeição do "relacionamento" deles. Ela casada e com dois entiados para criar; ele abalado pelo fracasso do antigo relacionamento.Entretanto, quando estavam na frente da tela do computador, a esfera era positiva e os problemas desanuviados. 

Não pensem que os emails eram como cartas de amor, desejando o parceiro  além da própria vida, e blá, blá, blá, pois a sagacidade e o humor dominam todas as circunstâncias, deixando o leitor com a expectativa do possível encontro, com risadas vivas estampadas no rosto.

Leo, sem dúvida, é meu personagem favorito e,muita das vezes, fiquei com pena por ter que se contentar com a "Emmi imaginária". Ele era um homem doce, esperto e,ao mesmo tempo, perspicaz. Emmie, uma mulher "feliz no casamento", no que diz respeito ao social, mas que sentia falta de algo mais, e não se tratava,apenas de, uma "aventura extraconjugal". 

Como mencionei anteriormente, o livro nos faz refletir sobre nossas próprias relações.Podem reparar que a maioria de nossas conversas com os amigos são feitas online.Praticamente, o contato físico foi extinto, e isso é demonstrado, perfeitamente, pelo casal da história.Afinal, a tudo custo o vital encontro é adiado. 

Confesso que não consegui largar o livro até saber como seria, quando finalmente, ambos se encontrariam.Mas ao que parece, terei que esperar mais um pouco.Afinal, @mor tem continuação - O que me deixou feliz e ao mesmo tempo triste, pois sou uma pessoa muito curiosa.

Logo, queridos leitores, recomendo a leitura desse primeiro volume.Aliás, qual será o desenrolar da história de Emmie e Leo? Será que os dois admitirão que estão se amando e consertarão todo seu destino?

E para atiçar,ainda mais, a curiosidade de vocês, deixo o Book Trailer do livro. 



 Bjks e até as próximas conversas!

2 comentários

  1. Não consegui desgrudar do livro até a última página. Não sei por qual dos dois personagens me identifiquei mais! Adorei Léo de pileque e a Emmi com seus e-mails rápidos e ácidos.
    Companhia deliciosa....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh... esse livro é viciante, né??? Também fiquei assim!
      Hahaha... Adoroooooo quando o Leo bebe! Haha! E a Emmi sempre tem uma resposta na língua.... casal perfeito!
      #ADORO

      Excluir