O Natal do Passado, do Presente e do Futuro...



Nossas festas de final de ano estão muito próximas e, o blog não podia deixar de fazer algo especial para vocês, não é mesmo??

Então, eu estive pensando muito no que fazer, mas minha querida amiga Carolina Passos, que deu seu Pov em um dos posts e me aconselhou em vários outros, me deu uma grande ideia em uma simples conversa de telefone. Ela disse: "Por que você não fala sobre os contos de Natal, xanda? " e, logo após, nem ousei pensar, pois esta seria uma matéria incrível.
Bom, como esse assunto foi sugerido por ela, porque a mesma  não poderia escrever? Assim, passei a responsabilidade para esta escritora surpreendente. Hoje, vocês estão nas mãos dela! APROVEITEM:

******


Natal. Não sei quantos de vocês amam essa época. Mas eu posso garantir que amo. Quando era criança, ganhei um livro, que não me lembro o nome, onde havia vários contos de natal. O meu preferido se chama Christmas Carol (Por que será que é o meu preferido?).

Christmas Carol foi um livro de Charles Dickens, que está fazendo, agora em dezembro,  169 anos. Ele foi escrito dentro de um mês para pagar dívidas e, se tornou um sucesso instantâneo.

Quem nunca ouviu falar do Espírito do Passado que, visita o senhor avarento e rico, mostrando que quando jovem ele era feliz e amava o natal, deixando-o triste e, mais uma vez, solitário? Quem nunca soube do Espírito do Presente que, mostra a esse mesmo velho homem, as comemorações em outras casas que mesmo pobres, são mais felizes e animadas do que a sua, onde não há ninguém? Quem nunca temeu o Espírito do Futuro que, mostra esse ancião, morrendo sozinho, sem amigos? 

Quem nunca repensou sua vida, corrigiu seus hábitos e desejou ser melhor nessa época do ano, assim como Ebenezer Scrooge, o velho avarento, que depois da visita dos três Espíritos do Natal, se tornou outro homem, generoso, atencioso e que amava o Natal? Eu posso apostar que muitos repensaram. Eu repensei. Todos os anos eu repenso minha vida. Sonho com coisas novas. Desejo o bem. Espero o lançamentos de novos e bons livros. De filmes legais. Isso é humano. Isso é normal.

Esse conto e mais tantos outros podem fazer sim, a diferença na vida de muito adulto, mas principalmente, de muita criança. Quantos pais hoje em dia param um pouco suas atribuladas vidas, largam seus celulares, notebooks e tablets para pegar o bom e velho livro de papel e, ler para seus filhos? Quantos compram livros para as crianças? E que livros são esses? Quantas crianças são incentivadas a ler, ao invés de, jogar video game ou ficar na frente do computador?

Alguém hoje em dia sabe quem é Monteiro Lobato, L. Frank Baum, Antoine de Saint-Exupery e J. M. Barrie? 
Calma, eu explico... Eles são os pais da boneca de pano Emília do Sítio do Pica Pau Amarelo; da Doroty do Mágico de Oz; do Pequeno Príncipe; e, acredite, do Peter Pan, respectivamente. Clássicos nacionais e internacionais que ouvimos por toda uma vida, mas que raramente lemos. Me digam por favor que ainda lembram do pó de pirimpimpim, da estrada de tijolos amarelos, da amada rosa e de pensar coisas boas para poder voar.

Nessa época de consumismo - ah, sim, consumismo - , porque natal  é a época do nascimento de Jesus - e não o aniversário do Papai Noel - onde as famílias se reúnem para celebrar, cantar canções natalinas como Sino de Belém, Noite Feliz e Jiingle Bells (mesmo que na versão onde o papel acaba), enfeitar a árvore, ser mais feliz, sorrir mais, ter esperança. Porque não incentivar a leitura? Porque não melhorar o Natal futuro, agora no presente, já que não podemos alterar o passado?

Esperança. Não há como deixar essa palavra passar despercebida. Nessa época também pedimos muito, seja a Papai Noel ou em pedidos secretos que, geralmente fazemos silenciosamente, para que ninguém ouça. 

Desejamos, sonhamos, esperamos. E eu tenho a minha lista - sim, eu tenho.

Desejo que as crianças sonhem em conhecer a Terra do Nunca e as comidas da Tia Anastácia. Que possam pegar a próxima estrela e voar pela galáxia para conhecer o novo. E que queiram mais que tudo, um coração, um cérebro e coragem, mas sem esquecer que não existe lugar como nosso lar.

Esse foi a primeira vez que escrevi um post. Não faço ideia se será a ultima. Mas, eu espero que ao menos a infância em cada um de nós não morra. E como diria o Pequeno Tim do livro Christimas Carol que “Deus abençoe a todos”.

Tenham um natal fantástico de paz, amor, saúde e que a esperança e a alegria durem por todo o ano que virá. Sonhem, porque é o primeiro passo para realizar o que está por vir.

Bjs da Carol.

*****

E aí, o que acharam desse lindo post?? Espero que tenham gostado, como eu gostei.

Agradeço, imensamente, pela ajuda da minha querida irmã e da minha querida amiga que fazem desse blog, um lugar alegre, onde posso soltar minha mente mirabolante. Também, quero agradecer a cada leitor, pois sem vocês, as coisas não seriam as mesmas.

Um ótimo 2013 para todos nós. Que muitoooos sonhos se realizem, que Deus nos abençoe e, que vocês não deixem o The Best Words Br; rs. 

Amo estar aqui! 

Bjks da Ale!

Um comentário