Aproveite o carnaval para ler com a Saraiva!



O Carnaval está chegando, pessoal! 

Animados para a folia??? Eu já fiz meus preparativos...

Cama: Ok! - Livros : Ok! - Café: Ok!

Bom, se o seu carnaval for como o meu, que tal aproveitar para comprar os livros, de nossas resenhas, na Saraiva? Compre rápido, com os melhores preços e espere confortavelmente em sua casa até que sua encomenda chegue. Se preferir, adquira o e-book de seu livro favorito e leia em seu leitor digital ou no próprio computador. Clique nas imagens para conferir os preços incríveis que a livraria Saraiva nos oferece.

Se Você Me Visse Agora Diário de uma Paixão A Hospedeira
DestinoÁgua Para Elefantes - a Vida É o Maior Espetáculo da Terra
A PromessaNoite Eterna
Bento - Saga O Vampiro Rei - Livro 1 Amor
 Starters - Sobreviver É Apenas o Começo Questões do Coração - As Pessoas Que Você Mais Ama, São As Mais Difíceis de Manter Por Perto
Cordas Rompidas Reencontros - e Se o Passado Fosse Seu Amor do Presente?

E se você gostar de uma folia, que tal comprar a edição de bolso do livro de sua preferência? Assim, entre um bloco e outro, você alimenta sua alma e sua mente!


A Última Música - Livro de Bolso Diário de Uma Paixão - Livro de Bolso  
Noites de Tormenta - Livro de Bolso


Eu já sou cliente Saraiva e pretendo ter um carnaval produtivo! E vocês???

Vou correr para comprar mais livros!

Xau, xau!

Bjks da Ale ^^

"O melhor de mim" - Nicholas Sparks


Todos nós já ouvimos algum dia que o primeiro amor nunca é esquecido; que nunca vai se amar alguém como você amou aquela primeira pessoa, pois foi ela quem te despertou para os sentimentos mais íntimos de seu coração e quem te guiou pelas descobertas e pelos amadurecimentos. Sparks usou muito bem este tema, chegando a se assemelhar a William Shakespeare e, nos mostrou verdadeiramente, que  "O primeiro amor deixa marcas para a vida inteira".


Entrevista Exclusiva com a autora Rafa Guimarães



Hoje teremos mais uma matéria exclusiva para o nosso blog! Depois da incrível entrevista com o Secretário de Cultura do Rio, Sérgio Sá leitão (clique aqui para ler), o The Best Words Br decidiu convidar a querida autora e amiga, Rafaela Guimarães. Conheço essa pessoa magnífica e posso afirmar que ela é extremamente doce e simpática e, também respondeu de imediato nosso convite para este bate-papo. Espero que gostem desse tempo proveitoso! Aguardo os comentários! 

*****
Olá, Rafa! Seja bem-vinda ao The Best Words BR!

Muito obrigada por aceitar nosso convite e responder, de bom grado, esta entrevista. Ficamos muito felizes com sua disponibilidade e esperamos que você curta nosso bate- papo. Vamos começar??

1) Você é graduanda em jornalismo e publicidade. O jornalismo é um ramo que exige que você seja antenada sobre o que acontece com o mundo e que exponha as notícias de forma imparcial. E quanto à publicidade, a inovação é a característica fundamental. O que você faz para conciliar as duas coisas? Qual é a sua tática?

R: Jornalismo e publicidade sempre caminham juntos e uma coisa sempre acaba puxando a outra, tanto que eu acho que é muito importante fazer as duas faculdades simultaneamente. São as minhas paixões.

2) Bom, eu tive a honra de poder ser sua parceira de trabalho no site Twilightmomsbr e já fui a eventos em que você foi a mediadora, como na Bienal do Rio 2011. Logo, sei, por alto, que sua paixão pela leitura começou com o auxílio de Stephenie Meyer. Você pode nos contar sobre essa incrível história?

R: Nunca vou me cansar de contar essa história! Afinal, é bom demais poder “voltar” um pouco para esse tempo. Minha vida literária realmente começou com um empurrãozinho de Stephenie Meyer. Aos 15 anos, recebi emprestado de uma amiga, o livro Crepúsculo. Naquela época, eu não lia absolutamente nada de nada, e imaginei que eu demoraria cerca de um ano para terminar aquele livro de 355 páginas. Mas, surpreendentemente, eu o matei em apenas dois dias e nem consegui acreditar que tinha feito isso. Fui comprar o livro sequência, Lua Nova, e novamente terminei em dois dias. Comprei o terceiro, Eclipse, e demorei uma semana por saber que o quarto e último, Amanhecer, ainda demoraria um certo tempo para ser lançado no Brasil. Fiquei completamente vidrada na história e ansiosa por mais. Com isso, eu acabei conhecendo o mundo das “fanfics”, que são histórias originais, que utilizam o nome de personagens de sagas famosas, e acabei por começar a postar, de brincadeira, uma história minha nesse site. Comecei a ganhar seguidores, pedidos para eu postar rápido, meninas de várias partes do Brasil me adicionando no MSN para tentar descobrir mais do que eu iria postar... Até que outras pessoas de Portugal apareceram e eu percebi a proporção que isso estava tomando. Até que, meses depois, o “fim” daquela história chegou, mas eu sabia que não poderia parar alí. E foi nesse momento que eu percebi que tinha escrito um livro.

3) Autora de dois livros - “Cordas Rompidas” e “ Reencontros”- publicados pela Editora Baraúna, você não esconde, como todo bom autor, que seus personagens “falam “ com você. Eles realmente tomam partido da situação e acabam por conquistar nossos corações. Como é a sua “comunicação” com eles? Qual é o seu momento de maior inspiração?

R: Eles fazem o que querem comigo! Realmente os sinto ao meu lado no momento que estou escrevendo, como se eles mesmos decidissem o que eu vou escrever. Na verdade, isso acontece muito. Tenho a ideia do personagem, crio suas características e, quando eu o coloco no papel, ele toma outra proporção. Ao longo do tempo, você acaba por conseguir escrever na hora que você quer, mas tem momentos em que eu preciso parar tudo que eu estou fazendo, pegar uma caneta e um papel e colocar ali, tudo que está na minha mente. Isso acontece muito quando estou escutando música.

4) Como dissemos acima, você batalhou e conseguiu publicar suas obras. Você pode explanar um pouco sobre o enredo de cada uma delas? Há muito de sua rotina, de sua vida, de suas amizades e de você mesma em cada página?

R: Muitas pessoas falam que os personagens são feitos de características nossas. Eu concordo e discordo ao mesmo tempo. No meu primeiro livro, Cordas Rompidas, Lizzie, a personagem principal, sofre um acidente de carro, a qual a faz perder seus amigos e seu namorado. Ela se fecha para o mundo, não deixa ninguém se aproximar e vive sozinha em seu dormitório da faculdade. Até que aparece o Greg, um estudante de arquitetura que, acidentalmente, terá que dividir o dormitório com a Lizzie. Como eu disse anteriormente, o jeito mais quieto da Lizzie, essa necessidade de estar sempre quieta e de um jeito mais sofrido, é completamente diferente do meu. Claro, sempre pegamos algo e complementamos dentro das páginas. Agora, em Reencontros, eu MORRO de vontade de ser parecida com o Thomas. É o cara sagaz, que tem sempre uma resposta engraçada para tudo, inteligente e sensacional. Já a Kristie, dá uns escorregões que dá uma mega vontade de puxar a orelha. Mas continua sendo o jeito dela. Também gostaria de conseguir ter algumas atitudes que ela tem.

5) Você se autodeclara como bookaholic e cinéfila. Assim, você já fez sua listinha de compras para a Bienal Rio 2013? Qual é o tamanho dela? E quantos aos filmes, sei que você aprecia o simples ato de ir ao cinema, mas qual é o seu gênero preferido? Há algum filme ou livro que você passará para que os seus futuros filhos vejam ou leiam?

R: Minha lista de livros e filme nunca tem um fim! Meus amigos falam que, todas as vezes que eu passo no shopping, eu saio com um livro novo em uma mão e um copo de café gelado em outra. Já tô economizando horrores no cartão de crédito para viver em dívidas felizes após a Bienal do Livro. Ah, eu adoro um suspense, comédia romântica, ação... Acho que gosto de tudo! Nossa, tem tantos livros e tantos filmes que eu gostaria de mostrar para meus filhos... Não tem como enumerar tantos!

6) Amante do que faz e feliz com a escolha de sua profissão, a Rafa Guimarães só aparece sorrindo em suas fotos das redes sociais. Entretanto, se você tivesse que escolher outra carreira, qual seria ela?

R: Cinema! Sou fissurada por esse mundo maravilhoso! O “por trás das câmeras” me chama muito a atenção. Quem sabe eu ainda não começo uma faculdade de Cinema?

7) O mercado editorial é muito concorrido, mas quando se tem talento, a obra ganha destaque. Qual foi sua melhor experiência como autora?

R: A minha melhor e mais emocionante experiência como escritora foi poder lançar meu segundo livro na Bienal de São Paulo, em agosto de 2012. Foi impossível conter as lágrimas quando cheguei ao pavilhão, quando vi meus livros dentro do stand da editora, quando finalmente coloquei o crachá com meu nome e com um “autor” acompanhado. Nossa, foi perfeito e maravilhoso.

8) Com um certo tempo de caminho profissional, você já aprendeu diversas coisas com pessoas mais experientes. Qual seria a dica que você daria para os aprendizes da escrita, do jornalismo ou da publicidade?

R: Uma das coisas mais importantes da vida é ter amor pelo que se faz. Em todas as minhas escolhas, eu possuo esse sentimento. Tanto pela escrita, como o jornalismo e publicidade. Dinheiro é importante? Claro que é, mas quando se ganha com algo que você adore fazer, deixa um pouco de ser um “trabalho”. Claro, nenhum caminho é fácil de ser seguido. Mas tendo esse tipo de sentimento, garanto que fica muito melhor.

9) Depois do sucesso dos seus escritos, podemos esperar mais “cheiro de livro novo” da queridinha da literatura nacional? Se sim, você tem algum spoiler para nos contar? Fique tranquila, pois só nós vamos saber. Haha!

R: Claro que sim! Não consigo parar! Meu projeto principal é a continuação de “Reencontros”, “ Recomeços”. Também estou no processo de criação de uma trilogia circense, mais puxada para um lado sobrenatural... Muitas e muitas ideias!

10) E para encerrar nossa entrevista, você poderia descrever em uma palavra, o seu amor pelos livros?

R: TUDO! :D


             Bom, obrigada por dedicar uma parte de seu tempo para conversar conosco, Rafa.

                                              Muito sucesso e realizações em 2013.

                                               Abraços da Equipe do TBW BR.


****

Adorei fazer mais essa entrevista. Sempre fico ansiosa com a resposta das pessoas e amo soltar minha curiosidade acerca delas. 

E vocês curtiram a Rafa??? Claro, né? Então, que tal segui-la no twitter para saber das novidades  sobre seu mundo literário?

Clique aqui para seguir o Twitter da Rafa; aqui para seguir o meu pessoal; e aqui para curtir a fanpage do blog!

Ps: Não deixem de adquirir os dois livros dessa autora. "Cordas Rompidas" e "Reencontros" já estão nas melhores livrarias do país  e você não vai querer  o autógrafo dela, num próximo evento em que ela estiver presente, não é mesmo?

Então, corra o mais rápido possível ;)
 
Bjks da Ale!

Dormir: hora de sonhar ou hora de pensar??



Sabe quando seu olho vai pesando e o seu corpo anseia pelo repouso? Você, mais do que ninguém, sabe a hora de ouvir o apelo do descanso e de correr pra sua cama, mas nem sempre - quase nunca, para falar a verdade - dormimos instantaneamente. Quando eu finalmente me deito, minha mente começa a fervilhar de pensamentos, ideias, vontades e tudo o mais que eu não tive durante o dia. Parece que meu momento mais criativo é quando estou à beira dos sonhos. 

É na hora de dormir que  penso na resposta perfeita que eu deveria ter dado para as pessoas; que eu tenho ideias sobre os posts do blog; que dou mais corda para os personagens do meu livro - sim, eles são noturnos. Falam muito na hora do meu sono; que eu sinto aquela necessidade de tocar mais teclado, de pintar, ou de praticar mais e mais os meu hobbies; que eu penso nas coisas que passaram e me permito imaginar meu futuro; que eu agradeço a Deus por me dar mais um dia de vida; e que, finalmente, eu me sinto realizada pelas conquistas daquele dia.

Sempre é um momento muito criativo e, por isso, rolo diversas vezes até conseguir cair realmente no sono. Entretanto, antes disso, rabisco várias e várias vezes no meu bloquinho para me lembrar, no dia seguinte, daquela ideia genial que tive no meu momento de inspiração.

Eu aproveito mais estes momentos do que os meu próprios sonhos, pois quase nunca me lembro deles. Sei que sonhei porque sempre sonhamos, mas posso contar nos dedos quantos deles já lembrei. Sonho acordada e gosto disso, pois assim não perco nenhum detalhe que pode ser esquecido durante os carneirinhos do  sono. Gosto de poder olhar para o teto do quarto e imaginar cada cenário que me vem à cabeça; de poder pronunciar, num sussurro, as palavras mais marcantes de cada pensamento; de sentir-me tão poderosa por ser a única que sabe daquelas histórias; e, por fim, de ficar satisfeita por tornar o término de meu dia tão produtivo, como nunca imaginei.

Sonhe com os olhos abertos, vendo as formas e as cores das coisas, ou com os olhos fechados, sentindo com o coração, o significado delas. Não importa a forma que você escolha, apenas não deixe de sonhar.

 E vocês também se inspiram nos  braços de Morfeu? Ou em outros lugares? 

Estou curiosa para saber! Que tal deixar sua preferência nos comentários??

Bjks da Ale e até os próximos encontros, pois acho que os carneirinhos já me chamam para sonhar ;)


Uma Londres no Brasil...

Quem nunca sonhou em conhecer Londres? Quem nunca quis colocar o pé na terra da rainha? Quem nunca quis tomar um chá em frente ao Big Ben ? Quem nunca quis escutar o sotaque britânico ao pé do ouvido?
Bom, eu sempre tive essa vontade, mas ao que parece, terei que esperar mais algum tempo para todas essas realizações. Entretanto, por que não antecipar um pouquinho o ar londrino sem sair do nosso país?

Vocês devem estar se perguntando onde é esse lugar, ou até mesmo, se ele existe. Logo, posso afirmar que ele é real e que é super fácil de encontrar. Esse município, com cara de exterior, fica no norte do estado do Paraná e se chama Londrina. Era de se imaginar, não é mesmo?

Então, sem enrolar mais, vamos começar com o nosso Tour?

***
Desde que me entendo por gente, viajo para esse estado. Afinal, preciso dar um alô para a minha família que está por lá.

Mesmo tendo quase 16 anos que passeio pelas ruas de Londrina, nunca havia passado muito tempo no centro da cidade, pois eu era pequena e não via algo que me prendesse por lá. Todavia, a partir do momento em que coloquei os pés naquela parte, pelo o que parecia a 1º vez, me encantei profundamente.

Tudo ao nosso redor parece fora do contexto nacional, pois você se depara com aqueles detalhes britânicos que você sempre sonhou. Os telefones, a guarda, os jardins, os táxis, os postes de iluminação, tudo mesmo é extremamente fascinante. E como sou curiosa - vocês já puderam notar - resolvi procurar um pouco sobre a história da cidade.

" O inglês Simon Joseph Fraser, mais conhecido como lord Lovat, veio ao Brasil em 1924 e visitou o norte do Paraná. Verificou, então, que não havia exagero no que ouvira falar sobre essa região. Em 1925, com outros companheiros, criou a Companhia de Terras Norte do Paraná, diretamente do governo paranaense. Essa companhia iniciou seu trabalho de colonização sob a orientação de ingleses. Estes ingleses, ao observar a névoa característica da mata da região, viram semelhanças com a neblina da cidade de Londres, e a fim de homenagear suas origens denominaram a comarca de "Londrina", que significa 'originária de Londres'.

A Companhia de Terras Norte do Paraná foi um tipo de loteadora que, após comprar terras, derrubou parte da floresta, abriu estradas e organizou a divisão desse espaço em lotes urbanos e rurais, que foram vendidos.

Em muito pouco tempo, nas décadas de 50 e 60, Londrina obteve um desenvolvimento econômico impressionante, sobretudo pelo plantio de café. No ano de 1961 estimasse que a região foi responsável por cerca de 51% do café produzido no mundo, sendo então chamada de 'Capital Mundial do Café'. Os fazendeiros, proprietários de grandes extensões de terra, construíram casarões e ficaram conhecidos como os 'Barões do Café', e os grãos do café eras conhecidos como 'Ouro Verde'.

Em 1975, houve a ocorrência de uma grande geada, chamada de 'Geada Negra', que atingiu todo o norte do Paraná, arruinando as plantações de café. Alguns iniciaram novamente o trabalho com café, enquanto outros investiram em outros negócios. Como após o plantio das mudas de café é necessário esperar cerca de 2 anos para iniciar as primeiras colheitas, Londrina perdeu o posto de grande produtor de café, mas já tinha desenvolvido um crescimento urbano razoável com indústrias, universidades e prestação de serviços. Londrina exercia na década de 1970 influência sobre todo o norte do paraná, hoje esse posto é dividido com sua vizinha Maringá que está muito próxima de atingir o seu mesmo porte. "






(Praça do Centro da cidade)


( A Guarda fazendo sua ronda diária)





(Dando uma de turista)





( "Coisas" Londrinas)


  Ao andar por Londrina, você sente aquele clima gostoso. Nada melhor do que se sentar na varanda durante a noite e, se deparar com o "friozinho" típico que te convida para ler e tomar uma boa xícara de café. Aliás, durante minha viagem no final deste ano, muitos dos livros que li e resenhei para vocês vieram deste lugar. 
Às vezes eu me sentia estranha, porque ao falar, com meu sotaque carioca, todo mundo ao meu redor me olhava, pois o sotaque de lá puxa o "s" e nós puxamos o "r". Entretanto, a hospitalidade dos habitantes é genial.

Quando visitamos lugares assim, ideias, pensamentos, sonhos e desejos se renovam, mas a saudade da sua casa também se fortalece. E comigo não foi diferente. Quando entrei no avião de volta para a "minha terra", uma música veio diretamente em minha cabeça:

"O Rio de Janeiro
Continua lindo
O Rio de Janeiro
Continua sendo
O Rio de Janeiro
Fevereiro e março
....
Meu caminho pelo mundo
Eu mesmo traço
....
Todo o povo brasileiro
Aquele Abraço! "


Esses trechinhos me lembraram que mesmo gostando de uns costumes estrangeiros, valorizando o desconhecido, a nossa cidade, o nosso estado, ou melhor, o nosso país tem muito o que oferecer e, cabe a cada um nós, trabalhar para que ele se torne cada vez melhor para nós e para as futuras gerações.

Nesse meu 1º passeio de avião , tive a sensação, sob as nuvens fofas de "algodão doce", que podia voar, que podia sonhar e que podia, enfim, mudar. Mas isso não é exclusivo para mim, mas para todo o povo brasileiro que sonha com um futuro melhor. Devemos valorizar nossa nacionalidade para que possamos sentir orgulho do nosso Brasil.

Espero que vocês tenham gostado da nossa matéria sobre essa viagem que tive a honra de poder fazer.

Fiquem ligados conosco e deixem seus comentários. Aliás, vocês já viajaram para algum lugar que  lhe deram inspiração ou esperança?




Xau, xau, Londrina.
...
E "Alô Rio de Janeiro
Aquele Abraço! "




Bjks da Ale!

" A Escolha" - Nicholas Sparks






Muitas vezes temos incertezas sobre nossa vida, sobre nossos interesses, sobre nossas vontades, sobre nossos sonhos e, até mesmo, sobre nosso amor. O que fazer quando seu coração quer ir por um caminho, mas sua mente tenta racionar para decidir  o que seria melhor ? Muitas coisas exigem escolhas, nem sempre fáceis, mas necessárias. Nicholas Sparks aproveitou muito bem - como sempre - esta abordagem e, deu o seu toque especial de romantismo, sagacidade e humor. Durante a narrativa - onisciente - , nos fazemos apenas uma pergunta: "Até onde devemos ir em nome do amor?".


"Questões do Coração" - Emily Giffin




Já perceberam o quanto é difícil falar sobre as pessoas que estão ao nosso redor e, que ao mesmo tempo, admiramos, amamos e protegemos?  Eu já. Sempre que vou falar com alguém sobre minha família ou amigos mais próximos, eu fico sem palavras e, quando vou ficar com estas pessoas de que falo, prefiro demonstrar do que falar...

As coisas do cotidiano, os afagos, as palavras ditas - ou as não ditas - sempre ficam gravadas em nossa memória, tentando, ao máximo, valorizar cada momento. Aliás, "as pessoas que você mais ama são as mais difíceis de manter por perto". Bom, e, é com esse clima que entraremos na obra de Emily Giffin. Prepare-se para se identificar com os personagens desta história, bem construídos e muito reais, clicando no Read More.