Minhas piruetas...




Quando era bem pequena, subia nos pés do meu pai, rodopiava e dançava pela sala. Sonhava com bailes, príncipes e belos vestidos. Quando ele andava mais rápido e o ar esvoaçava meus cabelos, imaginava que estava voando, com mil pássaros ao meu redor. No início, sentia medo de cair, mas seus braços firmes me transmitiam segurança e, logo aproveitava a brincadeira, pedindo que 
acelerasse cada vez mais. Assim, desde pequena aprendi os encantos da dança. Entretanto, a "menininha do papai" cresceu e não pôde mais subir em seus pés.


Comecei a fazer ballet, como praticamente todas as meninas de 7 ou 8 anos. Ficava empolgada, queria aprender todos os passos e almejava ser como minhas queridas professoras gêmeas (sim, aprendia em dose dupla). 

 
Adorava surpreender minha mãe nas apresentações e me sentia como a própria Ana Botafogo quando colocava minha pequena roupinha.
Ensaiava pela casa inteira, cantava sem parar as músicas e mostrava, incansavelmente, meu progresso para minha família. Acho que até minha cachorrinha pode ter entrado na dança, durante o progresso.



Mais uma vez, a garota cresceu e, com a idade, veio a timidez.  Como poderia me apresentar na frente daquela plateia toda? E se eu caísse? Iria parar no youtube??


O tempo foi passando e eu fui me afastando, sem perceber, daquilo que me soltava. Entretanto, como o bom filho a casa torna, voltei a dançar socialmente. É claro que bate aquele medo e aquela bendita vergonha, mas como meus amigos topam minhas doideiras, não há mal em arriscar. Até mesmo um forró e um sertanejo já foram alvos de nossos treinos. Calculamos para não pisarmos nos pés dos outros, mas quanto ao resto, não nos importamos.  Solto gargalhadas com os micos e me liberto da rotina.

Sempre fui feliz nos livros, mas a dança completa esse elo de necessidade. Afinal, já que os exercícios físicos não gostam de mim, "balançar o esqueleto" tinha que servir, não é mesmo?

A dica para esquecer os medos é pegar um par, não olhar para os lados, dançar - do seu jeito - e sorrir acima de tudo.

Aprendi como agir e agora não desisto mais.... E vocês, o que acham disso?

Espero que tenham gostado desse papo gostoso!

Até mais... Vou procurar logo um par para a próxima oportunidade ;)

Bjks da Ale!!

Um comentário