"A noite Maldita" - André Vianco






Olá, gente, tudo tranquilo??? Espero que sim!!!
Essa é minha primeira resenha do ano de 2014 e, com certeza, a primeira de muitas, pois além de contar com minha eterna paixão por livros, estou participando de um desafio literário de um grupo de leitura de que faço parte. São 14 categorias de livros nesse desafio e comecei  minha missão lendo um livro de um autor nacional. E eu não poderia deixar de escolher o melhor de todos, na minha humilde opinião, André Vianco.

Escolhi o mais novo livro dele. Portanto, vamos de falar de A noite maldita - as crônicas do fim do mundo.
Esse livro conta como tudo começou na saga O vampiro Rei, onde o 1º livro é Bento, que  já tem a resenha aqui. Bom, mas vamos ao que interessa.
Tudo ia bem, todos estavam seguindo suas rotinas normalmente, até que ao final de mais um dia comum, tudo muda. As pessoas começam a entrar numa espécie de transe, em que elas adormecem e não mais acordam, parecido com  um estado comatoso, em que suas funções vitais ficam fracas, porém vivas.

Como se já não bastasse esse inexplicável estado de adormecidos, surge uma nova categoria de criaturas. Pessoas normais, de uma hora para outra, começam a sentir fortes dores no estômago e a ter uma severa fragilidade à luz solar - sendo chamados de agressivos,
devido ao comportamento que elas passam a exercer.
Cássio, um jovem militar do 9º recrutamento de cavalaria da PM, se depara com uma cidade de São Paulo extremamente caótica. Os bancos não funcionam, os sistemas de comunicação estão mudos, rádios e TV's fora do ar, pessoas saqueando mercados e postos de gasolina.
Mas o que Cássio não sabia era que o pior ainda estava por vir. Os agressivos começam a apresentar um comportamento um tanto quanto peculiar. Passam a sentir necessidade de consumir o líquido da vida - Sangue.

Neste momento, começa uma batalha épica pela vida, onde vivos e mortos-vivos lutam por sobrevivência. Uns fogem de dia e outros caçam à noite.
Ao se deparar com uma situação de total catástrofe no centro de São Paulo, Cássio tem uma grande ideia. Ele resolve retirar todos os pacientes e quem mais quisesse acompanhar do maior hospital da capital, o famoso Hospital das clínicas, pois este era o principal alvo dos vampiros, pois ali teria um rio de sangue.

Sendo assim, é organizado uma grande jornada para um novo centro hospitalar que estava sendo criando em uma cidade do interior - o Hospital Geral de São Vitor, surgindo assim, a primeira comunidade pós- Noite Maldita.
Batalhas, mortes, sofrimento e agonia marcam as páginas dessa grande estória. Não entrarei mais em detalhes para que vocês fiquem curiosos e corram para ler essa grande obra.
Como havia falado anteriormente, esse livro é o início de toda a saga do vampiro rei e, por isso, encontrei diversos personagens nesta edição. Foi muito bacana saber a história de cada um deles. Farei aqui uma listinha dos personagens que reconheci: (contém spoilers do livro Bento)
* Francis -- O bento médico. Ele não chegou a adormecer. Simplesmente, no momento da noite maldita, ele já se consagra bento
* Raquel -- A vampira caolha. Raquel era uma promotora que lutava para fazer justiça pela morte de seu marido. Ela também não dormiu, mas, na noite maldita, ela começa a passar mal, se torna vampira e começa a ser vista pela legião de vampiros como uma líder.
* Dra. Ana -- Começa atender todos na noite de caos, entretanto, ao descansar, cai adormecida e não acorda mais.
* Anaquias -- O bento paraíba. Era um leão de chácara de um prostíbulo. Não adormeceu também, apenas aflora nele o espírito Bento.
* Vicente -- O bento grandão e protetor de Lucas (o 30º Bento)
* Bispo -- O velho vidente. Em A noite maldita, ele se encontra no estado de adormecido.
* Lucio -- O humano que ajuda Cantarzo. Cássio já tem uma premonição de que ele não presta, mas o salva de um ataque de vampiros na rodoviária.
* Lucas - O 30º Bento. Encontrava-se adormecido do HC.

A minha opinião não poderia ser outra - ADOREI - o André sempre nos dá bastante riqueza de detalhes e nos faz viajar por esse universo literário. 
Olhando por um lado mais técnico dessa obra, pude perceber que ela foi muito bem escrita e revisada. A maneira como os fatos são apresentados (1ª noite/1ª manhã – 2ª noite/ 2ª manhã) tornam a localização na linha temporal, dos muitos pontos de vistas descritos na Crônica, muito tranquila de se situar. Além disso, todo o entrelaçamento das várias histórias dos vários personagens foi executado de uma maneira bem coesa e coerente com a história apresentada na saga 'Bento'.
Acho que deveria ter o Noite Maldita 2, pois ainda ficaram faltando algumas explicações e personagens que não tiveram um desfecho. ANDRÉ, MEU QUERIDO, PRECISAMOS CONVERSAR...rs

Bom , pessoal, por hoje é só!! Espero que tenham gostado e prometo que sempre darei o meu melhor para vocês! Até a próxima e lembrem-se: os livros são nossos grandes amigos que nos fazem viajar sem sair do lugar.

Beijinhos, Flay

CEO e Maníaco por Controle??


Como se respira, Mr.Grey??? Omg! 

Voltando para a parte em que eu sou uma blogueira séria e sensata....Pufffs... É quase impossível manter o foco com a imagem desse homem por perto.

Bom, depois de muito, muito, muito relutar, me rendi ao charme desse Cinquenta Tons e precisei passar aqui para compartilhar minha opinião com vocês.

Nessa resenha, com certeza, não preciso falar sobre o teor do enredo, não é mesmo? A Flavinha já comandou um bate- papo sobre os três livros da série ( Para conferir, entre na aba das resenhas ;D ). E, agora, chegou a minha vez.

Eu simplesmente fiquei viciada. Paguei mesmo pela língua, pois depois de recusar, comecei a amar de paixão. Estou engolindo os livros. Já estou acabando o segundo e quero logo descobrir como tudo vai terminar.

Para contextualizar, sabemos que Anastasia Steele se apaixona pelo milionário, CEO, misterioso,   maníaco por controle e com gostos poucos convencionais para suas "relações amorosas". Os dois vão se conhecendo e Ana resolve tentar se encaixar nos moldes de Christian, mas reconhece que BDSM não é realmente seu estilo e acaba abandonando o Mr.Grey ao final do primeiro livro. Os dois ficam desolados com isso e resolvem tentar novamente após o CEO descobrir que prefere deixar um pouco de seu lado exótico ao perder a mulher de sua vida. Assim, os dois entram num relacionamento mais normal, onde tentam conciliar o que é bom para um e para outro, no limite certo. E eu amei isso... Até chorei em algumas partes, pois vi como o Grey estava tentando realmente mudar.

Quando terminei de ler, fui atualizar minha estante do skoob e marquei Cinquenta Tons de Cinza como lido e, logo depois, fui olhar as resenhas que estavam disponíveis por lá. Fiquei triste com alguns comentários, pois a maioria falava que o livro era mal escrito, que só falava sobre sexo e que era um absurdo uma mulher ficar assim por um cara e blá.. blá.. blá...

Na minha humilde opinião, não é nada disso. Muito pelo contrário! Mal escrito? A autora escreve muito bem e cita várias coisas da Literatura Inglesa e de conhecimentos amplos. Ponto que rebate o que foi dito. Só sexo? Bom, tem bastante sim, mas tem o pano de fundo que explica tudo. Se você pegar o livro e abrir em uma página aleatória, certamente se chocará porque não leu o enredo. A questão é essa. As pessoas gostam de falar através de coisas soltas que ouviram de alguém ou porque não entenderam ou não se prenderam na parte essencial da história.
Submissão? Em nenhum momento, a Ana foi submissa. Pelo contrário, ela não tem um fio de cabelo de submissão. A personagem tem uma mente desafiadora, questionadora e uma língua afiada. Características que Christian ama e que se dispõe a aceitar, pois é disso que ele precisa. Logo, não concordei com nenhuma dessas críticas.

Ao contrário da minha irmã, achei que os personagens desse livro realmente lembram os de Twilight. O enredo é diferente, mas eu, como fã de Twi, vi algumas características que me lembraram totalmente da saga de Stephenie Meyer. ( Para quem não sabe, a autora de Cinquenta Tons, antes de lançar o livro, escreveu essa história como fic de Twilight, onde Christian era Edward, Ana era Bella e afins). Eu sorria quando identificava um personagem e adorei poder fazer essa associação.

Então, queridos leitores, recomendo essa leitura para os interessados no assunto. Porém, peço que deixem qualquer preconceito de lado e leiam com a mente aberta. Tenho certeza de que se vocês fizerem isso, vão amar o Mr. Grey. Eu me apaixonei por ele e agora estou amando Baunilha  ( piadinha literária à la Cinquenta Tons).

Espero que tenham gostado, pois nosso objetivo é satisfazer haha!

Vou correr para terminar a série ;) 
E sentar para esperar o filme em 2015....

Beeeeijos e mais beeeijos da Alê.

"Desastre Iminente" - Jamie McGuire



Bom, eu acho que já surtei o suficiente com Travis Maddox no nosso bate papo em forma de vlog, né? 
kkkk! Como eu sou uma péssima mentirosa! Vou surtar mais já, já.

Meu povo, Desastre Iminente consegue ser mais viciante do que Belo Desastre. Eu havia explicado para vocês que o primeiro livro era narrado com o ponto de vista de Abby e que o segundo era contado pelo próprio Travis. E é aí que está o ápice desse vício. O Pov do Maddox em questão é muito mais intenso do que o da mocinha!

No primeiro exemplar, senti uma relação tênue entre amor e ódio pelos personagens principais, mas nessa leitura não houve espaço para tal confronto. Em cada instante, vi o que movia Travis a cometer burradas ou a consertá-las. Entender o que tinha por trás do bad boy foi crucial para mim. A autora foi muito convincente sobre o quis passar. Realmente, toda a sua abordagem no livro adquiriu o verdadeiro tom masculino e o leitor fica encantado com isso. Eu me admirei com tal jogo de cintura, pois em uma obra Jamie escreveu com a cabeça de uma mulher, mas em outra narrou o mesmo enredo com o porte masculino. INCRÍVEL.

Muitos podem achar que a leitura é cansativa, pois lerão a mesma "coisa", mas não é bem assim. É óbvio que os diálogos e os fatos têm que ser os mesmos, pois o sentido é igual. Porém, tudo ao redor é diferente. Abby e Travis são pessoas e, como tais, têm seus próprios questionamentos, incertezas e emoções.

Além do enredo que vimos anteriormente, Jamie McGuire nos apresentou fatos inéditos no Prólogo e no Epílogo do livro. Coisas surpreendentes que te deixam de " boca aberta" e que te fazem querer muito mais dos personagens.

Eu já era muito fã do pai do Travis, o Jim, e nesse livro pude me aproximar mais de todos os outros Maddox. Verdadeiros "moleques" que implicam entre si, mas que se unem quando um deles está precisando de apoio.

Em Desastre Iminente, vimos de pertinho a verdadeira mudança de Travis e eu amei cada episódio que foi proposto. Não há ponta solta ou situações sem explicações.

Eu só tenho que parabenizar a autora por esse incrível trabalho e indicar esta leitura para todos os livráticos. Tenho certeza de que vocês irão amar!

E, para encerrar, deixo uma mensagem que se encontra na contracapa  e que eu acho que simplifica tudo o que você irá sentir após folhear este livro.

" Quando você entrar na cabeça de Travis Maddox, não vai querer mais sair"
Colleen Hoover- Autora de Métrica

Espero que tenham curtido, pessoal!

Beijos enormes da Alê ;)

2º vídeo do nosso vlog! ( Agora com a Alê)



http://lendocomendo.blogspot.com.br/2012/07/resenha-belo-desastre.html

Oooie, pessoal!

E, pela primeira vez, aparecerei para vocês no nosso vlog  \o/
Acho que essa imagem já deu uma pista sobre o assunto da vez, né? Então, vamos lá...

Ps: Não reparem nas minhas bochechas... mesmo eu sabendo que dá vontade de apertar hahaha!

Ps 2: Em um momento do vídeo, minha voz não fica ritmada com os meus gestos e eu não sei o porquê... relevem isso, por favor? Ainda estamos aprendendo a melhorar essa nova ferramenta do blog !
Espero que curtam ;)



Beeijos da Alê!