Milhas e milhas distante ...


Quando era pequena, amava olhar para a estrada enquanto viajava. Era muito legal ver que após o vislumbre de vegetações, de casas pitorescas e de um animal ou outro, a cidade surgia como uma árvore de natal gigante - característica de sua típica iluminação. Nessa época, eu não me importava com distância alguma, pois tudo de que precisava estava comigo - minha mãe e meu bichinho de pelúcia. Porém, hoje, morro de medo do que os quilômetros podem representar.

O que podemos fazer quando o amor escapa de nossos delicados dedos e embarca num carro para seguir um destino diferente do nosso? Sentar e chorar ou levantar a cabeça e seguir em frente? Tratam-se de questionamentos difíceis e que fazem com que nosso coração e nossa mente entrem em um conflito. O lado emocional sempre grita: Hey, I miss you; e o lado racional tenta, sem sucesso, falar: I don't care.  Mas parece que os batimentos cardíacos sempre ganham a batalha.

Sinto falta da época em que o simples ato de abraçar meu bichinho de pelúcia confortava meu interior porque agora o vazio que sinto não pode ser dimensionado. Estou como uma formiga distante de seu formigueiro - sem direção e sem sentido-. Você sempre foi minha bússola e sempre me fez voltar para casa em segurança. Assim, nesse momento, me encontro desnorteada.

 Sinto falta do calor do seu abraço, dos seus lábios macios nos meus e de seu perfume inebriador. Afinal, você é como um vício para mim, pois basta um segundo ao seu lado, depois de um longo tempo sem termos contato, para que minha dependência seja despertada. Sempre quero mais. Contudo, apesar das minhas necessidades, entendo que tenho que aprender a caminhar sozinha a partir de agora.

Não sou mais aquela menininha que olhava animadamente pela janela do carro. A estrada deixou de ser uma diversão porque cada milha que nos separa me deixa angustiada. Logo, decidi que ignorarei a paisagem que nos distancia e seguirei meu próprio rumo. Não sei de fato qual será o seu ou o meu próprio destino, mas sei que lá na frente - bem na esquina da estrada - nos encontraremos. 

Espero que isso ocorra logo 
                           e que os quilômetros cansem de nos separar de uma vez por todas.

****

Bom, queridos, resolvi compartilhar com vocês essa minha pequena reflexão. Fiz esse texto bem rapidinho com algumas ideias na cabeça e sentimentos no coração... Espero que tenham curtido!

Um beijão da Alê ;)


5 comentários

  1. Ameeei! Agora eh hora de seguir a vida também! A menina cresceu e eh preciso ser forte e passar por mais essa fase. Viva e curta o presente, lindaaa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownn, coisa linda da minha vida! Obrigada pelo comentário e, principalmente , pelo apoio que você sempre me dá. Pode deixar... seguirei seus conselhos ;)
      Te amo demaissss!

      Excluir
    2. Quero seu bem sempre, amiga! Tbm te amo, bjoo! ((:

      Excluir
  2. Amei Alê, agora infelizmente você sabe a dor que sinto, mas se Deus quiser tudo isso vai passar e um dia vamos estar rindo disso tudo, um beijo e eu te amo. M

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Milinha, que bom que gostou! Com certeza! Deus tem o melhor para nós :D Obrigada pelo apoio! Beijinhos! Tbm te amooooo!

      Excluir