Tbw Br no cinema #ACulpaédasEstrelas


Olá, amores!

Passei aqui para, finalmente, falar sobre a adaptação de A Culpa é das Estrelas! Desculpem-me pela demora, mas acabei fazendo milhares de coisas no blog e deixei esse post para depois. Então, como eu já demorei demaisssssss para falar sobre isso, vou parar de blá, blá, blá...Vamos ao post ?

****

Eu já assisti esse filme maravilhoso duas vezes ( pena que ainda não vi mais :/ ) e saí da sala do cinema, nos dois dias, com o rosto inchado e com o coração apertado. Chorei como criança...

 Mas eu não fui a única! Nem os mais durões aguentaram!

( Meu estado depois da sessão) 

Acho que todo mundo aqui sabe sobre o enredo de A Culpa é das Estrelas ( se você não sabe, não tem problema. Clique aqui e resolva esse detalhe, lendo nossa resenha) . Bom, além da história maravilhosa criada por John Green, nós choramos compulsivamente no cinema porque a obra foi MUITO BEM adaptada na telinha. Os motivos para tanta perfeição? Eu explico!

#Atuação de Shailene Woodley e Ansel Elgort



Ninguém pode negar que esses dois incorporaram o papel de maneira única. Eu não consigo imaginar atores melhores para viver Hazel e Gus. Shai e Ansel trouxeram um sentimento muito forte para os personagens. Eles não atuaram apenas, eles assumiram a pele, as emoções dos próprios personagens! Nem parece que eles fizeram algo tão diferente em Divergente! Eles provaram o quanto são bons no que fazem.
Sem falar na química! A Shai atuou com Theo James em Divergente e a química foi incrivelmente fantástica também - tivemos desejo e muita,muita paixão. No entanto, a química com Ansel foi doce e cresceu de forma inocente - como no livro.




 A intensidade do filme foi arrebatadora. E até a própria Shailene se emocionou com a exibição! 




# Trilha sonora

Tá...essa trilha não cooperou em nada com nosso emocional, não é mesmo??? Além das cenas fortes, as músicas mexiam e muito com o nosso coração. Depois da última cena, eu achei que conseguiria recuperar meus olhos vermelhos se esperasse um pouquinho na sala. Sem sucesso. A música dos créditos me fez chorar ainda mais!
Isso não se faz , produção!

Para escutar a trilha, clique no gif abaixo. 
Não me responsabilizo por olhos vermelhos aqui, hein?



# John Green 100% presente

Vale lembrar que o Tio Verde esteve no set de gravações. Tá , Alexandra, e o que isso significa??
 Significa que a adaptação ficou muito fiel! É claro que uma coisa ou outra não aparece, mas, gente, é uma ADAPTAÇÃO! Não dá para colocar o livro inteiro na tela porque o filme não pode ser tãooooo extenso ( bem que nós queríamos). Mas, sinceramente, eu achei que ficou muito similar. TODAS as nossas queridas frases estavam lá. Tudo correu como tinha que correr. E eu amei isso.





# Elenco unido.
Tá... eu já comentei sobre a Shai e o Ansel, mas não podia deixar de falar dos outros profissionais perfeitos que trabalharam nesse filme! Eu consegui perceber , nas cenas, uma sincronia absurda entre todos os personagens.  Houve uma união estupenda no set e nas gravações!

Além disso, todos os atores desempenharam seus papéis de maneira esplendorosa! Eu juro que consegui sentir raiva do Willem Dafoe porque ele incorporou muito bem o Peter Van Houten!




Um dos destaques também é o diretor Josh Boone, pois ele foi excelente! Obrigada por alegrar os fãs, Josh!



#Enredo mágico

Ah, gente, eu não poderia ir embora sem falar que essa história é fascinante. Lendo o livro ou vendo o filme, você ri e chora. Combinação que parece paradoxal, mas que flui naturalmente aqui - sem forçar barra nenhuma!

Não é um romance meloso como escutei muita gente falar no facebook ( algo que me irritou profundamente).... essa história não é só o romance... acho que precisamos abrir os olhos para a linda lição que é passada.


Espero que você tenha curtido o filme e o nosso post tardio, hehehe! Se você ainda não viu o filme, corra, pois tenho certeza de que você irá gostar!

E quem já viu tem que esperar pela próxima adaptação de um dos livros do John! POIS É! Teremos mais um livro adaptado para a telinha. Agora é a vez de Quem é você, Alasca?

Deixarei a sinopse para vocês para que todo mundo leia o livro antes do filme ;D

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez".


Beijos da Alê e até mais!


Nenhum comentário

Postar um comentário