A menina que caçava paixões....


Ela vivia numa busca incansável por paixões, já que não se sentia completa consigo mesma. A menina olhava por todos os cantos, ruelas e lugarejos por onde passava... Seu olhar era afiado e implacável...
Ela esperava achar um alguém que fizesse seu coração bater mais depressa e que lhe desse borboletas no estômago. Afinal, ela leu em livros que o amor faz isso com as pessoas...

Tal procura insana fez com que aquele pobre e doce coração se enganasse fácil e rapidamente. Por muitas vezes, ela se entregou e acreditou que aquele menino da esquina fosse sua cara metade... Pobre menina... Não sabe o que faz.

Uma vez, ela conheceu um amor ... Mas ele se foi como tinha chegado... Voou como o vento, mas deixou rastros ... Ela, no entanto, continuou enfrentando a vida de peito aberto... E, por isso, vieram as porradas da vida. Muitas cicatrizes surgiram enquanto ela teimava substituir o amor do passado... Ela tentou, tentou, tentou ...

Depois, veio um possível menino ... E ela logo se animou... O que ela não sabe é que o amor não se dá assim... Amor é entrega , é devoção ... não é uma mera distração ou simples prazer físico... E, como já era de se esperar, o tiro saiu pela culatra, e o próprio menino a largou... Mais dor... Mais rejeição... Ela não conseguia aceitar tal situação...

Mas você acha que ela mudou? Pufffs... Claro que não... Aquele olhar de caçadora era intrínseco a ela... Predadora , mas sensível... Pronta para a caça do dia e para o pranto da noite...
Incompleta e cheia de vazios sentimentos...

Sua busca não parecia ter fim... ela ansiava pela paixão, pelo alento de um cara legal e, a cada vez que ela sonhava com isso, sua busca aumentava mais...

O que ela não sabe ainda é que nada vai dar certo até que ela seja autossuficiente.. Até que ela ame mais a si mesma do que tudo... E, além disso, ela precisa aprender a ser mais crédula... O destino nunca falha, e as mais belas coisas da vida acontecem de uma hora para outra, sem nem ao menos um aviso.

Numa tarde, a menina sentiu o sopro de um vento familiar que lhe deu esperanças.. Ela resolveu seguir a vida... Se formou, escreveu um livro, viajou o mundo e, em uma típica cidade da Europa, sentiu seu coração acelerar e percebeu as borboletas no estômago...

Pois é.. Ela estava na cidade de Shakespeare... O sábio Bardo a levou para lugares de seu coração até então desconhecidos ... E ela ficou satisfeita, pois, mesmo que tudo isso se passasse nas páginas de um livro, ela se sentia  forte e orgulhosa com o que tinha feito na vida.

Tudo ia bem... Até que, em uma cafeteria tradicional, um lindo homem esbarrou nela e ambos deixaram cair seus livros... Romeu e Julieta. Essa era a obra que os dois liam...

Destino? Ela não sabe, já que não era suficientemente crédula... O que ela sabe é que esse foi acaso mais oportuno de sua vida

*****
Ooooie, meu povo!

Hoje, passei aqui para compartilhar com vocês mais um daqueles textos informais... A inspiração veio e logo coloquei no  papel... Sendo assim, peço desculpas pelos prováveis errinhos que vocês podem encontrar, haha...

Beijos e espero que gostem do meu eu-lírico <3

Nenhum comentário

Postar um comentário