"O Francês" - Daniel de Carvalho


Oi, pessoal....tranquilinho??? Espero que sim!

Galera do RJ, estão preparados para a próxima semana??? Eu estou em cólicas! Afinal, daqui a uma semana começa o evento mais aguardado por todos nós maníacos por leitura...A Bienal do livrooooooo!!!

Bom, mas vamos deixar os surtos a parte, pois faremos um post especial para a Bienal depois, hehe! Hoje, nós iremos comentar sobre um livro extremamente fofo, O Francês, de Daniel de Carvalho, da editora Pandorga.

A história é dividida em dois momentos: uma parte é contada no século XVIII, mais precisamente na Capitania de Minas Gerais. Nosso personagem principal é Adrien, um menino francês que, junto com seus pais, veio para terras brasileiras a fim de garimpar ouro e consequentemente angariar uma vida melhor. Mas o que Adrien não imaginava era que, no meio da luta pela sobrevivência, iria conhecer Yara, uma descendente de indígenas tupi-guarani. Durante muitos anos, a história dos dois se baseava na amizade e cumplicidade, mas, com o passar dos anos, um amor avassalador tomou conta de seus corações, e eles decidiram se casar, sempre com o apoio de seus pais. Entretanto, uma terrível tragédia acontece, e o grande amor é interrompido para ressurgir com todas as forças depois de 272 anos.

A segunda parte da história já acontece no nosso século XXI, na cidade de Carvalhos, interior de Minas Gerais. Jean, um jovem sociólogo, decide visitar seu amigo Alaor. Assim que chega, se encanta por Karina, grande amiga da irmã de Alaor. A recíproca é verdadeira e não demora para que os dois comecem a andar mais juntos.

Em uma das visitas que Jean faz a casa de Karina, ao visitar a biblioteca de sua residência, Jean repara em um estranho diário, o “Mon Journal”, que estava localizado em uma das prateleiras. Ao abri-lo percebe que este estava escrito em francês, aguçando mais ainda sua vontade de ler. A cada página, a história vai envolvendo os dois de tal maneira que chega a ser algo quase sobrenatural, ainda mais que ninguém, nem mesmo a avó de Karina, sabe como tal livro foi parar em seus guardados.

Tal diário é o elo que esclarece a relação entre os dois casais de épocas tão distantes e tão diferentes.

Curiosos para saber que elo é esse??? Então, corram para as livrarias e adquiram logo o seu... sei que não irão se arrepender!

**********************

Bom, vamos então aos meus mais singelos comentários....rs

Uma amiga minha, parceira no mundo literário, a querida Thaís Turesso, do blog Viaje na leitura, me indicou para a Pandorga para que eu fizesse essa resenha. De cara eu já curti, né? Aliás, quem não gosta de ganhar livros? Mas eu fiquei apaixonada quando li a história. Adoro romances e mais ainda quando estes são avassaladores.

Curti cada linha do enredo e ainda aprendi um pouquinho de francês, pois a cada parte, uma frase ou um trecho é escrito nesse idioma.

Pude perceber que até certas palavras nossas têm um pouco de origem no francês, por exemplo, Journal, que em francês quer dizer diário, em nossa língua quer dizer o tão lido jornal, que não deixa de ser um diário das notícias do mundo. Encontrei também a palavra Garçon que, em francês, quer dizer menino...será que ao trazer pro nosso idioma, o pessoal chamava quem trabalhava no comércio de menino???

Essa obra mostra bem que a miscigenação do nosso povo veio das diferentes culturas que aqui chegavam, como, por exemplo, o convívio entre os europeus com os africanos, infelizmente na condição de escravos, e com o povo indígena, que já estava aqui.

E o mais legal de tudo: a obra é de um autor nacional....isso mesmo! Isso nos mostra o como a nossa literatura vem crescendo cada dia mais.

Quer saber mais sobre esse talentoso autor? Então, clique aqui para conferir o site com mais informações sobre as outras publicações dele!!

Sem querer ser repetitiva, amei o livro e dou nota 9,5, apenas por alguns detalhes que não posso mencionar para não dar spoiler demais, mas tenho certeza que ao ler vocês irão entender o porquê da nota.

Mais uma vez, quero agradecer a querida Thais Turesso pela indicação do blog e também a querida editora Pandorga por confiar em nosso trabalho.

Vou ficando por aqui, mas pretendo voltar logo....quem sabe contando os meus surtos pela bienal?

Beijinhos
Flay

5 comentários

  1. Oi Flávia,

    Você soube transmitir na sua resenha com precisão os acontecimentos que marcaram o romance sem dar spoiler, muito bacana! Parabéns pela resenha!

    Beijos!!!



    http://www.viajenaleitura.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Tatá.....mas tudo isso foi graças a vc por me indicar...e ler esse livro não foi nenhum sacrificio, eu ameiiiiii

      Excluir
  2. Apesar do livro parecer meio clichê eu adorei a sinopse e fiquei muito interessado em ler o livro. Parabéns pela resenha! Está incrível. E obrigado por colocar bastante informações. Eu agradeço. Hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKK.. Leonardo sendo Leonardo... KKKKKK!

      Excluir
  3. Flay, amei a resenha e fiquei curiosa agora... gosto de histórias de pessoas desconhecidas que se envolvem de alguma forma... qualquer dia desses, roubo seu livro para mim ;)
    Beijos!

    ResponderExcluir