Somos S.A Store!



Ooooi, amores!


Hoje, passei aqui para contar uma novidade incrível!!! Na verdade, eu não estou nem acreditando!!! Então, antes que eu acorde desse sonho, vou compartilhar essa notícia linda, linda com vocês!

***

Bom, como todo mundo já deve estar imaginando, vim contar que fechamos uma parceria muito importante com a fabulosa S.A Store, uma loja que faz a alegria de qualquer fã! Isso mesmo!!! A partir de agora, a família Tbw Br possui um desconto especial nas compras realizadas por lá!

*Dancinha da felicidade*

Assim, quando você quiser adquirir um produto da SA, basta usar o código: parcbest para conseguir 5% de desconto!

Clique aqui para começar a festa!!!!!

E, agora, já que soltei a bomba da vez, que tal vermos alguns produtos maravilhosooooos e com preços mais incríveis ainda para comprarmos com esse nosso cupom???

 

 

 

 

 

 



Já querooooooooo essa blusa de The 100, de Divergente, de ACEDE, quero tudooooooooo, produção!!!!!

Vocês já podem me dar de presente, tá, hehe?


*** 

Espero que tenham curtido essa notícia, pessoal!!

Não percam essa chance, pois assim, além de aquirir um produto lindo do seu ídolo favorito, você ainda ajuda o blog ;)

S.A, obrigada pela parceria e pelo carinho!

Beeeeeijos e até mais, família linda <3

De fã para fã: Divulgação de "Maze Runner: Prova de Fogo" no Brasil.


Não faz muito tempo, a diva, rainha, metade brasileira, Kaya Scodelario, passou por aqui deixando lágrimas e sorrisos. E eu, é claro, não podia deixar de acompanhar todos os passos, vídeos, fotos e entrevistas da linda aqui no BR. Então, resolvi juntar tudo em um post só, já que ela e o Giancarlo vieram dar a honra da graça nesse nosso país.

Para quem não sabe, a mãe da Kaya é brasileira, e o pai dela britânico, por isso, ela sabe falar português. Mas, na recente estadia dela no Brasil, a produção pediu para que as entrevistas fossem feitas em inglês, pois ela se sentia mais confortável com essa língua. Apesar disso, ela não deixou de soltar umas palavras em português, e foi uma fofura!

O Giancarlo Esposito (ator que interpretará Jorge no filme) a acompanhou, e foi super simpático! Houve uma premiere em São Paulo e uma série de entrevistas depois.

Falando sobre a premiere...gente, o que foi este evento?! A Kaya ficou visivelmente emocionada, e eu não pude deixar de acompanhá-la nas lágrimas. Foi muito bonito, e não me canso de assistir estes vídeos. Que linda ela, gente!


  

Depois da premiere, veio o filme, e, apesar de não terem contado spoilers, quem viu deixou bem claro uma coisa: Não vá para o cinema comparando livro e filme. Pois é, fãs da saga Maze Runner, é provável que o filme não tenha sido nada fiel. Mas não se desesperem, os fãs que assistiram ao filme afirmaram que ele é sim muito bom, apenas devemos separar a obra literária da obra cinematográfica. Mas não se preocupe, como o filme já está nos cinemas, você vai poder ter sua própria opinião.

Filme a parte, as entrevistas foram maravilhosas! Primeiro houve a Coletiva de Imprensa, onde Kaya já entrou comendo pão de queijo, e disse que andava comendo muito brigadeiro também!

O SobreSagas (Quando esse site não diva?) entrevistou a Kaya, que soltou umas palavrinhas em português, e ainda ganhou um buquê de rosas no final.



Quem também não ficou de fora foi o Edu, do Perdido Nos Livros, representando muito bem os fãs da saga. Ele ainda comentou sobre Newtmas! Melhor impossível.




Quem também estava lá era o Federico DeVito fazendo inveja na gente :’( Ele ainda brincou de “Ficar, Casar, Largar” com ela!



A Capricho também marcou presença, e fez duas entrevistas! Uma delas foi sobre a Kaya comentando algo polêmico. Como a palavra “feminista” é usada aqui no Brasil, e o preconceito que essa palavra sofre. E Kaya falou incrivelmente bem! #girlpower



Teve também outra entrevista sobre o filme!



E, além disso, ainda mandou um “oi” em português para o snap da Capricho... o sotaque dela não é um amor?



As entrevistas não param por aí! A Kaya ainda passou no The Noite, com o Danilo Gentili, e falou a entrevista toda EM PORTUGUÊS, caí de amores, né?


.

E teve a entrevista m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a do Papelpop divida em duas partes. Para quem lembra, eles já entrevistaram a Kaya em português antes, na divulgação do primeiro filme. E agora estão de volta com mais uma entrevista tão boa quanto a primeira.


.


.

Depois da tarde de entrevistas, Kaya e Giancarlo fizeram uma sessão de autógrafos na livraria cultura, tirando fotos e atendendo alguns fãs pré-selecionados. Todos disseram que os dois esbanjavam simpatia.




O fim da sessão de autógrafos trazia também o fim dos compromissos deles no Brasil. Mas este não foi o último contato de Kaya com os fãs. Mais tarde, de madrugada, Kaya desceu do hotel e foi pedir aos fãs para que voltassem para casa, pois era muito perigoso. E pela vigésima vez, que fofa!

Após tudo isso, foi a vez de Kaya e Giancarlo irem assistir a um jogo de futebol. Com direito a camisa e tudo. Mas, infelizmente, após isso, os dois se despediram, deixando muitas lágrimas e sorrisos, uma semana maravilhosa, e a emoção de ouvir Kaya dizer “eu tenho orgulho de ter sangue brasileiro nas veias”, e nós também temos orgulho de você!


Essa atriz maravilhosa já conquistou nossos corações, e não temos mais nada a dizer além de obrigada!

Xoxo, Thata

"172 Horas na Lua" - Johan Harstad


Oiiie, amores!

Prontos para a resenha de um livro que tira o fôlego de qualquer um? Sim? Então, "simbora" falar sobre o enredo surpreendente de Johan Harstad!

***

172 Horas na Lua é uma ficção científica que mostra que o autor pode enganar e surpreender o leitor do primeiro parágrafo ao último capítulo.

Bom, o que você faria se um concurso fosse aberto para que três adolescentes tivessem a oportunidade de conhecer a lua? Se você tivesse idade para participar, se inscreveria ou pensaria duas vezes? E se você não pudesse concorrer, incentivaria seus conhecidos ou falaria para eles esquecerem essa ideia absurda?

Seja qual for a resposta, o autor nos mostra todas as possibilidades e nos faz preferir a segunda opção...

"Alê, para de mistério e conta logo qual é a confusão" ... okay, okay! Farei isso, gente!

172 Horas na Lua tem como tema o retorno do homem à lua. Depois de anos, a NASA e homens engravatados decidem investir numa volta para esse satélite, a fim de investigar certos acontecimentos desconhecidos por radares! No entanto, para conseguirem investimento e apoio mundial, lançam um concurso em que três adolescentes escolhidos acompanhariam a equipe da missão nessa alucinante viagem. E, como esperado, a comoção é enorme e milhões de pessoas se candidatam a vaga.

Antoine, Mia e Midori, três pessoas com culturas e personalidades totalmente diferentes, são selecionados e embarcam numa viagem que pode se tornar muito maior do que esperavam.

Lá, após se instalarem, diversos acontecimentos mostram que a NASA tinha interesses um tanto secretos nessa expedição; e mostram que, pelo que parece, eles não estão tão sozinhos no espaço como pensavam. Desaparecimentos de membros da equipe, portas que se fecham sozinhas e danos inesperados em equipamentos fazem com que todos se tranquem numa atmosfera de desconfiança e fazem com que lutem por suas respectivas vidas.

Essa é uma história repleta de mistérios que fazem o leitor roer as unhas, acreditar e desacreditar logo depois de tudo que leu até certo ponto. O autor soube brincar e mexer muito com as nossas emoções e esse foi um dos pontos que eu mais gostei da leitura, já que nada é previsível.

Como vocês perceberam, não posso falar muito do enredo em si, pois o livro não nos permite contar spoilers. Assim, só posso dizer que essa foi a ficção mais inteligente que eu já li! Estou de boca aberta até agora com tudo que encontrei!!

Os personagens desse livro são muito bem desenvolvidos e carregam suas histórias pessoais, inclusive as lendas de seus povos, juntamente com a linha central do livro. Essa sacada de Johan Harstad deixou o texto ainda mais complexo e completo no final! Além disso, a obra possui algumas ilustrações que dão um toque arrebatador no contexto!

Agora, depois de falar de tudo que me impressionou, só posso recomendar essa leitura para vocês! Tenho certeza de que todos irão se surpreender do início ao fim.

Já leu ou quer ler 172 Horas na Lua? Então, me conta aqui nos comentários ;D

Beeeeijos da Alê!

"A Lista" - Cecelia Ahern.


Olááááá, amores e amoras.....

Como vão vocês??? Espero que bem...

Hoje, iremos falar sobre um livro lindíssimo....aliás, tanto eu como a Alê somos suspeitas para falar sobre o quanto amamos os livros da Cecelia, e, por isso, este não seria diferente!! Então, agora, daremos toda a atenção a essa bela obra intitulada A Lista.

O livro conta a história de Kitty Logan, uma mulher de 32 anos que vê sua vida, tanto no lado pessoal como no profissional, desmoronar. Após publicar uma matéria com acusações equivocadas sobre um possível caso de pedofilia, Kitty sofre um processo judicial que faz com que sua carreira no jornalismo praticamente seja encerrada.

Como se sofrimento pouco fosse bobagem, sua grande amiga e mentora, Constance, vem a falecer. Kitty se vê em uma situação completamente desesperadora, uma vez que a única pessoa que ainda acreditava nela tinha partido. Porém, Constance havia deixado uma matéria pendente. Bob, seu companheiro há mais de 3 décadas, entrega a Kitty uma lista com cem nomes, porém sem nenhuma outra informação. Nossa protagonista não quer desapontar a amiga e, ao mesmo tempo, vê uma chance de se redimir através dessa matéria. Mas como o faria se nem ao menos sabia quem eram essas pessoas? 

Mesmo sem saber por onde começar, Kitty decide apostar no desejo de sua amiga e, mesmo com o editor-chefe da revista desacreditando sobre seu potencial, ela cai de cabeça na matéria.

Aos poucos, Kitty vai conseguindo contatar um ou outro nome da lista:  Eva, Birdie, Ambrose Jedrek, Mary-Rose, Archie são pessoas com histórias. Mas qual o ponto que as relaciona exatamente? Elas estão contando uma história legal?

A busca não é fácil, o tempo está acabando e a jornalista não está nem perto de concluir os cem nomes. É nesse momento que Kitty começa a buscar pistas na casa de Constance para tentar encontrar alguma mensagem sobre as pessoas, a intenção, ou seja, a lista.

Conforme vai conhecendo as pessoas, Kitty entende o que sua mentora quis deixar para ela, e essa descoberta é fascinante e emocionante!

Uma história envolvente e que a cada página nos traz mais emoção e faz com que tenhamos mais vontade de devorar esse lindo enredo. Portanto, se ficaram curiosos, corram para a livraria mais próxima e adquiram essa linda obra que a nossa parceira Novo Conceito trouxe para nós.

**************

Gente....que história foi essa???? Simplesmente apaixonante....

Quando a Xanda me pediu que lesse esse livro, a princípio fiquei meio dividida, pois havia ainda muitos livros na minha lista, mas, se tratando de Cecelia Ahern, lógico que a gente dá um jeitinho....e é claro que eu não me arrependi!!!

Um livro lindo, com várias histórias de amor, amizades e cumplicidades e que nos empolga cada vez mais.

Gostei muito da narrativa de Ahern.... cheia de detalhes, com quotes arrepiantes, a autora procura transmitir valores e coisas boas através de seus escritos.  

O que mais me chamou atenção na obra é perceber que todo mundo tem uma história para contar. Umas felizes, outras nem tanto, mas todas são parte do que somos e mostram como lidamos com o mundo.

Se eu pudesse dar uma nota de 0 a 10, com certeza, daria 10....só gostaria que ela tivesse dito mais ao final sobre o possível perdão de Kitty.

Espero que tenham curtido! 

Ainda estou muito animada para trazer mais resenhas para vocês!

Beijokas,
Flay 


Bienal Rio 2015! #EuFui!


Oooie, gente!!!

Tudo bem??? Espero que sim e espero que tenham curtido ( e muito) essa Bienal maravilhosa!

Fomos oito dias para curtir esse paraíso literário e, por isso, passei aqui para contar um pouquinho sobre tudo que rolou por lá! A Flay e a Thata também foram e devem contar o POV delas sobre essa experiência em outros posts, e o nosso lindo e novo integrante do blog, Felipe Machado, vai postar, aos poucos, os nossos vídeos gravados na feira ( não se inscreveu ainda no nosso canal? Clique aqui para resolver isso ;D ).

Bom, tem tanta coisa para contar que eu nem sei por onde começar, haha.... mas vou me esforçar para honrar os momentos maravilhosos pelos quais passei. Assim, vou dividir todos os meus oito dias em tópicos, mostrando um pouco de cada um! Vamos lá??

Ps: Me desculpem pelo post grande, mas não podia deixar de contar nada :) 

***

#Bagunça, orgulho e overdose de risadas com Ana Beatriz Brandão.


Como vocês sabem, nós amamos demais a Bia, então, é óbvio que acompanharíamos essa linda na Bienal. Em todos os dias, eu tietei muito essa autora simpática e talentosa e vi com muito orgulho o reconhecimento do trabalho dessa escritora que já virou minha amiga e irmã. A Bia deu muitas entrevistas para imprensa; abraçou, beijou, autografou e tirou foto com muitoooos leitores ( os anjinhos dela); e, além disso, deu uma palestra, no Cubovoxes, cujo tema foi "Transformando sonho em realidade".



 Tudo teve muito brilho no olho e carinho! Ahhhh... e teve muita euforia por parte da mulherada ( me incluo nisso, hehe) porque Dorian ( lindoooo) compareceu na feira com Serena e o Escuridão, ou seja, nós tivemos a oportunidade de conhecer esses fofos!!


E, quando a Bia tinha um tempinho, nós ríamos e matávamos as saudades!!!

Teve muitaaaaaaaa bagunça!


Bia é uma caçadora de almas??? Será que ela fez mesmo o juramento?


Cuidado porque o Escuridão está conosco e nós não temos medo de usá-lo!




Overdose de muito amor!



#Fãs de livros na Novo Conceito \o/


O que falar desse estande e dessa equipe linda?

Queria muito conseguir expressar toda a minha gratidão por todo mundo que trabalhou na NC, mas só consigo pensar em uma palavra: amor.

* Amor pelos autores - Felipe Colbert, Renan Carvalho, Janda Montenegro e Vanessa Bosso - que me abraçaram e que me deram tanta atenção ( um obrigada muito especial para o Renan que me aturou todo dia, haha). Sem palavras para nomear todo esse carinho.


Renan, um dos melhores autores nacionais de fantasia.


Van, rainha da Amazon e da simpatia <3


Editor e autor querido, Felipe Colbert.


*Amor pela equipe maravilhosa que atendeu os blogueiros com tanto cuidado e fofura. TODOS foram magníficos, mas, em especial, quero agradecer ao Danilo e ao Wesley por tudo.  



Wesley eu já conhecia de outra Bienal e amei reencontrá-lo para implicar um monte com ele, hahahaha.

 
O Dan eu já conhecia por email, já que ele mantem um contato lindo com os blogueiros... então, amei poder finalmente encontrá-lo para ganhar um abraço quentinho <3

*Eeeee teve amor pelo kit lindo que eles deram para os parceiros também ( mas isso eu mostro em outro post ;)

Como vocês viram, a NC virou minha segunda casa e, por isso, só posso dizer: Obrigada, obrigada, obrigada, Novo Conceito, pela parceria e pelo amor!!

Para mim, esse foi o melhor estande ever!




Segunda Bienal de parceria com essa editora linda!


Nossos marcadores no meio do estande da NC <3


Mããe, posso levar?


Legenda ideal: " Minha vida é como um livro, cada dia uma página, a cada hora um novo texto, a cada minuto uma palavra, e neste segundo um sim ou não que pode mudar minha história."

Legenda real: Cara de "Flávia, tira logo essa foto"...hahaha


(Aperte em "Mais informações" para continuar lendo a matéria ;D )

"Eu te darei o sol" - Jandy Nelson.




Oi, gente, aqui é a Thata!!!

 Venho mais do que feliz dizer que escrevi a resenha de mais um livro MARAVILHOSO da Novo Conceito! E estou radiante por estar tendo a oportunidade de compartilhar o meu recente fascínio por Eu Te Darei O Sol. Vem conferir a resenha ;)

***

Noah e Jude eram gêmeos muito próximos, carne e unha, liam a mente um do outro, sabiam o que o outro estava sentindo e, além de tudo, eram melhores amigos. Mas, então, eles começaram a crescer. Jude era popular, cobiçada pelos surfistas e totalmente diferente de seu irmão, Noah, o esquisito sem amigos que passava mais tempo com seu bloco de desenhos do que com qualquer outro ser humano. E, claro, agora tinha uma ereção quando estava muito perto de garotos!

Até que um dia, uma catástrofe acontece, e os rumos da história mudam totalmente. Noah e Jude se encontram em uma rede de segredos e mentiras, tentando desvendar um ao outro.

Vou ser sincera e dizer que, quando eu li a sinopse do livro, eu não fazia ideia do que me esperava nessas páginas. Este pequeno resumo não faz jus ao livro incrível com que me deparei. Divertido e dramático, mais do que um romance, Eu te darei o sol fala sobre a amizade.

O livro é narrado por Jude aos 16 anos e por Noah entre os 13 e 14 anos, e, a cada capítulo, essa passagem de tempo é feita entre presente e passado. No início, pensei que seria confuso, mas ,na verdade, foi um ótimo jeito de levar o livro. Uma história acabava complementando a outra, mesmo em épocas diferentes, e, aos poucos, você ia montando o quebra-cabeça. Foi uma ideia muito boa da autora, e a cada final de capítulo, eu queria mais de Jude ou de Noah.

E, por sinal, os dois foram personagens muito bem construídos, cheios de falhas e virtudes, fáceis de se identificar e se apaixonar. Eu amei estar na mente deles! Jude é paranóica com doenças, e fala com a sua avó morta. Noah não tem amigos, e, ao fazer amizade, passa por sua primeira paixão, lidando o tempo todo com a sua homossexualidade. Eles não são adolescentes totalmente comuns, mas, ao mesmo tempo, são muito parecidos conosco.

Nenhum dos protagonistas, ou coadjuvantes, é idealizado. Todos eles erram (e feio), mas todos eles se arrependem, como qualquer outro ser humano, e isso te deixa mais próximo do personagem. É muito interessante também ver a mudança dos protagonistas, já que o livro é narrado no passado e no presente.

O romance de Noah foi muito bem escrito. Foi o primeiro amor por si só, simples e arrebatador, impossível de não torcer para que os dois ficassem juntos. E o de Jude foi igualmente encantador, e meu coração de shipper sofreu em muitas cenas.

A autora tem uma escrita muito boa, que te prende ao longo dos capítulos e que te desperta a curiosidade para saber quais são os segredos e as intrigas que ocorrerão. O enredo é muito bem entrelaçado, nos mínimos detalhes.

É um ótimo livro Young Adult, que vale a pena ler e que te faz pensar sobre até que ponto atitudes definem uma pessoa. Essa obra com certeza vai fazer você se apaixonar por Noah&Jude! 

Por uma amizade como a deles, eu daria o céu, as árvores, as flores, e principalmente, daria o sol.

"Mentiras que confortam" - Randy Susan Meyers


Olá, pessoal....como estão??? Espero que bem....

Gente, o que foi essa Bienal do RJ??? SIMPLESMENTE DEMAISSSSSS.....preciso comentar que estou pobre, inclusive, mas isso é papo para um post exclusivo sobre a bienal que está sendo preparado pra vocês. Mas vamos ao que interessa!!!

Hoje, nós falaremos sobre Mentiras que confortam, da autora Randy Susan Meyers.
O livro conta a história de 3 mulheres que não se conheciam, mas que têm suas vidas cruzadas de forma bem peculiar.

Tia se apaixonou por um homem casado, Nathan. Durante alguns anos, eles viveram um romance bastante tórrido. Eis que Tia fica grávida e, ao contar a Nathan, este pede que ela faça um aborto, pois essa gravidez poderia acabar com seu casamento, e ele não queria isso. Diante de tal absurdo, Tia decide se afastar dele, sem deixar de amá-lo, e toma uma difícil decisão: iria entregar sua filha para adoção, pois não iria suportar olhar para o bebê e lembrar de seu grande amor.

Caroline foi a mulher escolhida para adotar a filha de Tia. Porém, ela nunca teve certeza se iria desenvolver bem o papel de mãe, mas cedeu a pressão de seu marido Peter para formarem uma família completa. Mas Caroline ficava totalmente dividida entre sua vida profissional e a familiar, sempre prevalecendo mais a primeira.

Juliette considerava sua vida com seu marido Nathan extremamente perfeita. Sua vida era completa, pois, além de ter uma família bem estruturada, também tinha muito sucesso profissional. Seu mundo começa a desmoronar quando seu marido revela que havia tido um caso. Ele promete que nunca mais iria trair, mas como conviver sempre com a dúvida de uma possível traição?

Após 5 anos, Tia ainda não superou a perda de Nathan, e decide mandar para ele fotos de sua filha. O que Tia não sabia era que sua carta iria ser interceptada pela esposa de Nathan, Juliette, e esta decide investigar e conhecer melhor sobre a família que havia adotado a filha bastarda de seu marido.

O destino dessas três mulheres se encontram mais uma vez através da pequena Savannah. Juliette sente que, mesmo tendo sido mais uma vez enganada pelo marido, a menina tem direito de conhecer os irmãos, os avós, e até mesmo o próprio pai. Ao mesmo tempo, Nathan está confuso, pois acreditou que Tia havia feito um abordo. Tia está com a vida mais bagunçada que sua mesa de trabalho. A paixão por Nathan se perpetuou pelos últimos anos e o envio das fotos reacendeu a esperança de que ele poderia procurá-la. Enquanto isso, Caroline tenta de todas as maneiras ser uma mãe melhor, mesmo que seus instintos não sejam tão maternais. 

Nessas idas e vindas, as 3 se deparam em uma luta pelo amor e pela confiança... ah,  e a pergunta "por que não ser mãe de uma linda menininha?" aparece para elas. Uma história que nos deixa conectados com as personagens e, a cada capítulo, ficamos querendo desvendar mais a história... como diz na contracapa do livro: “Ainda que você não concorde com as escolhas feitas pelos personagens, é difícil não apreciar a honestidade de Mentiras que confortam.”

***********
Essa é uma história narrada sob o ponto de vista de quatro personagens: Tia, Juliette, Caroline e Nathan. É muito esclarecedor saber o que cada um está pensando dessa situação tão incomum. Todos os personagens estão cercados de mentiras, e isso dá um pouco de raiva no início, já que, a cada mentira, mais e mais problemas vão sendo criados, e menos os personagens conseguem se acertar.

Quando comecei a ler o livro, a história não havia me convencido muito, porém, a cada capítulo, ela vai te envolvendo de uma forma que você fica doido para chegar logo ao final e ver o desfecho.

Não curto muito histórias de traições, até porque fico me colocando na pele do personagem, mas, neste livro, o tema é abordado de uma forma bem sutil, sem a libertinagem que é característica de histórias de traição.

Sem revelar muito spoiler, preciso falar que fiquei me colocando no lugar de Juliette e que, fato, nunca iria perdoar esse marido. Pô, a mulher era tudo. Uma boa dona de casa, levava dinheiro pra casa, pois era uma empresária de sucesso, era uma mulher bonita, e o cara vai procurar outra na rua?? 

Ahhh, me desculpem os homens, mas um cara desse merecia era uma surra, isso sim.

Não concordei também com a atitude de Tia de colocar o bebê para adoção. Só porque se decepcionou com o cara, vai largar a criança que nada tem a ver com isso?? Achei uma atitude bastante egoísta e covarde. Nunca iria descontar minha frustração amorosa em uma criança que não pediu para vir ao mundo.

Esse é um livro interessante que nos faz refletir sobre dilemas do cotidiano e com alguns pontos de vista a serem analisados por nós leitores.

Se pudesse atribuir uma nota de 0 a 10, eu daria 7, pois o final eu esperava mais....

Bom, vou ficando por aqui e espero ver a opinião de vocês, ok???

E aguardem, pois surpresas irão acontecer no Tbw Br.

Beijokas e boa leitura a todos,

Flay


De fã para fã: O Diário da Princesa!

 

E eu tenho certeza que você já ouviu falar desse filme!



Mas, e sobre os DEZ livros de Meg Cabot, você já ouviu falar? Pois é, dez livros! Em comemoração aos 15 anos de O Diário da Princesa e a vinda de Meg Cabot para o Brasil, vim fazer esse post com uma resenha dessa história e com algumas informações sobre a linda escritora desses livros! Vem conferir se você ainda não leu, porque deveria ler!

Imagina só, você, no início do ensino médio, recebe a visita de sua avó (que, por sinal, você não suporta), e ela joga a notícia bombástica de que você é uma princesa! Apesar de parecer um sonho virando realidade, para Mia não era bem assim. Tudo que ela queria era uma vida quieta e no anonimato, mas agora ela deveria ter aulas de como ser uma princesa, e aprender a governar Genóvia, tudo isso com a sua avó nada agradável.

Mia é uma garota normal, tem dificuldade em matemática, gosta do irmão da melhor amiga, mas tem uma quedinha pelo cara mais gato da escola (afinal, quem não tem?). É obrigada a aturar a patricinha popular da escola, e tem poucas amigas de verdade. Apesar dos compromissos de princesa, ela se preocupa mais com o que Michael está pensando dela do que aprender as diplomacias de Genóvia.

Todos os livros desta série são leves e divertidos, em formato de diário, são uma leitura rápida e fácil, bem chick-lit. A Meg escreve muito bem e entende as crises adolescentes. Afinal, Mia tem que equilibrar sua vida de adolescente, ativista amante do meio ambiente com a vida de uma garota normal na escola, e ela faz parecer super fácil (tirando todo o drama haha).

Mas, claro, nem tudo são flores. Não posso dizer que todos os livros são excelentes, até porque a Mia é imatura, e isso cansa em alguns pontos. Mas, depois que você percebe que ela vai crescendo ao longo de todo enredo, e vai aprendendo, você fica feliz por ela, pois é como se a gente a acompanhasse ao longo dos anos de sua vida.

Existe uma parte no último livro que você realmente percebe que a Mia cresceu, e dá até um orgulho, me senti aquelas tias que dizem “nossa, como você cresceu!”, e a Mia provavelmente ficaria me olhando tipo “Quem é você? É claro que eu cresci, é o que as pessoas fazem”.

Esses livros são um estilo Thalita Rebouças, que se você acha que na sua idade não iria se interessar, com certeza conhece alguém que iria. E incentivar a leitura é sempre uma boa, não é?

Mas se você gostou do filme, com certeza vai gostar do livro. O filme é paixão antiga para mim, e foi o que realmente me estimulou a ler esses livros. A adaptação deixa um gostinho de “quero mais”, e este desejo é muito bem preenchido pela série de Meg Cabot.

O primeiro filme se passa entre os três primeiros livros, com várias mudanças para encurtar o roteiro (Em um dos livros da série ela até comenta que fizeram um filme sobre ela, e a Lily reclama que foi super injustiçada em sua retratação cinematográfica). E o segundo filme não tem ligação nenhuma com os livros. Este não é tão bom quanto o primeiro, e, apesar de ter o lindo Chris Pine, eu ainda sou team Michael, fazer o quê?

Outra diferença é a Grandmère, avó da Mia. Ela é, muitas vezes, insuportável no livro, diferente da avó incrível interpretada por Julie Andrews, que conseguiu transformar uma personagem mesquinha em uma rainha admirável.

O Diário da Princesa é um dos meus filmes favoritos, e recentemente saiu uma notícia sobre um terceiro filme. Mas, infelizmente, o rumores foram negados, ou seja, nada de filme novo :’(.

A saga acaba na formatura de Mia, e, após dez livros, confesso que senti um buraco no meu coração. Pode parecer muito, mas você se acostuma a ler sobre a vida da princesa, e ao saber que não tem mais um próximo livro, a inevitável saudade bate. É um livro de menina mesmo, com romance, descontração e ataques dramáticos de Mia Thermopolis.

Confesso que sofri muito com o ship nesses dez livros. Michael e Mia já eram meu OTP mesmo antes de eu saber o que era OTP, e talvez seja por isso que eu tenha um carinho enorme pelo livro. 

Porque eu já vi O Diário da Princesa 100 vezes, posso ver mais 100, e não vou cansar.

E, se você comparar o final dos livros com o final do filme, não vai acreditar no tanto de coisas que aconteceram, e nas várias novas situações que surgem... Como Mia ter escrito um livro com cenas de sexo, e não saber como contar para a avó.

Queria ter tido a oportunidade de crescer com Mia ao longo dos anos em que os livros foram lançados, mas, como não tive, já valeu, na minha opinião, aturar essa menina meiga e maluquinha e ver seu amadurecimento. Bateu saudades agora.


E falando nisso, para quem já leu e também sente falta da princesa sem um parafuso, a Galera Record vai lançar um novo livro chamado O Casamento da Princesa. Dá até para imaginar o que vai ser, né? MEU SHIP CASANDO, SEGURA CORAÇÃO!



"Neste novo volume de O Diário da Princesa, da autora Meg Cabot, cinco anos se passaram desde que Mia se formou na faculdade - e sua vida anda bem agitada. Ela coordena um centro comunitário em Nova York, continua perdidamente apaixonada por Michael e está sempre cheia de compromissos reais na agenda. E por falar em compromisso... A imprensa não perde uma oportunidade de maldizer a vida do casal. Por que não se casaram até hoje? Existe outro pretendente? Como a família real permite que ela passe as noites fora de casa? Os paparazzi vivem atrás da princesa, mas ela tem outras prioridades. Até passar um fim de semana romântico com seu amor nas Bahamas. Será que chegou mesmo a hora do “felizes para sempre”?”

 E a melhor parte disso tudo é que MEG VEM PARA O BRASIL LANÇAR! Ela vai fazer uma turnê por vários estados do Brasil, e eu trouxe para vocês as datas e os links dos eventos no facebook!
                                
Cachoeira, BA – 18 de Outubro, 10h



Recife, PE – 19 de Outubro, 17h



São Paulo, SP – 20 de Outubro, 17h



Porto Alegre, RS – 21 de Outubro, 17h



Belo Horizonte, MG – 22 de Outubro, 17h



Rio de Janeiro, RJ – 23 de Outubro, 17h



A Record também vai lançar uma edição especial de O Diário da Princesa, em comemoração aos seus 15 anos. Com direito a capa dura forrada com tecido, impressão do miolo em duas cores, e apresentação de Paula Pimenta.

Tudo isso em outubro desse ano. Mês que vem promete para as fãs de Meg Cabot!

E fiquem de olho no twitter do blog, porque se sair mais alguma notícia, com certeza, postaremos lá ;)


Xoxo, Thamiris.

"Soldier, leal até o fim" - Sam Angus.


Olááááááá, pessoal....

Já estou em êxtase com a nossa bienal....ahhhhhhhhhhhh....(momento loucura....), mas, em breve, nós iremos colocar aqui a cobertura completa, ok??

Mas, enquanto isso não acontece, vamos de resenha....

Hoje, nós vamos comentar sobre um livro lindíssimo. Falaremos de Soldier, Leal até o fim, da autora Sam Angus, que traz a história de lealdade de um cão para com o seu dono.

Stanley, um menino inglês de 14 anos, perdeu sua mãe ainda muito jovem e vivia com seu pai e seu irmão. Após a morte da mãe, seu pai entrou num tipo de depressão e tudo que ele sabia fazer era maltratar Stanley e ficar sozinho. Quando seu irmão mais velho, Tom, foi recrutado para servir na guerra, Stanley passava por poucas e boas com seu pai. Sua única distração era a cadelinha Rocket.

Em uma determinada noite, Rocket foge, e Stanley ao encontrá-la percebe que ela havia cruzado com um cão cigano. Seu pai odeia cães ciganos e diz ao filho que assim que os filhotes nascerem ele irá dá-los aos ciganos. Stanley começa a acompanhar a gravidez de Rocket e, assim que os filhotes nascem, ele se apega demais ao único machinho da ninhada, ao qual colocou o nome de Soldier, em homenagem ao seu irmão.

Seu pai cumpre a promessa e, logo que os filhotes desmamam, ele os entrega aos ciganos, porém Stanley consegue com a ajuda de um cigano que Soldier ficasse com ele. Dá (apelido do pai de Stanley) fica irado com tal atitude e diz a Stanley que irá afogar o cachorro. E numa manhã, Dá sai cedo com Soldier a fim de cumprir sua promessa. Stanley tenta alcançá-lo para impedir, mas é em vão, e, muito magoado com a atitude radical de seu velho pai, resolve fugir de casa e se alistar ao exército. Mesmo com sua pouca idade, Stanley ingressa no exército inglês, mais precisamente no setor responsável por cães mensageiros e vê nisso uma forma de estar perto de sua paixão por cães e, ao mesmo tempo, procurar por seu irmão Tom.

Stanley se depara com os maiores horrores que uma guerra pode proporcionar a um ser humano, e também a um cachorro, mas ele também faz novos amigos e dá várias lições de amor e da capacidade do amor que um cão pode ter para com o seu dono.

Uma história de amor, companheirismo, lealdade e de um amor que pode ultrapassar qualquer tipo de dificuldades.

***************

Gente, como vocês já sabem, eu amoooooo cachorros....e, quando vi a capa desse livro, eu pensei logo....tenho que ler.

Simplesmente perfeito....não tem como não se envolver com a história de amor e lealdade de um menino e seu cão, mesmo diante de um cenário tão devastador como o de uma guerra.

Gente, de cara eu ODIEIIIIIIIIIIIIIIII esse Dá....poxa, como assim fazer tanta maldade com um bichinho?? Afff....que vontade de dar na cara dele....mas o livro trouxe muitas surpresas e fez com que minha raiva por ele amenizasse.

Sem querer ser redundante, é um livro que você não consegue parar de ler, pois a cada página você
fica mais e mais emocionado e ansioso para saber o que acontece com os dois.

Recomendo muitooo a leitura. Tanto para os amantes de animais, como eu, como para aqueles que curtem histórias de Guerra, pois tem muita emoção, e a adrenalina rola solta.

Se eu pudesse atribuir uma nota, com certeza, daria 10! E, mais uma vez, parabenizo a nossa parceira Novo Conceito por nos trazer tão deliciosa leitura.

Bom, pessoal, vou ficando por aqui, pois, afinal de contas, estou aqui já me preparando para mais um dia de Bienal amanhã....

Beijokas e até a próxima....

Flay