"Mentiras que confortam" - Randy Susan Meyers


Olá, pessoal....como estão??? Espero que bem....

Gente, o que foi essa Bienal do RJ??? SIMPLESMENTE DEMAISSSSSS.....preciso comentar que estou pobre, inclusive, mas isso é papo para um post exclusivo sobre a bienal que está sendo preparado pra vocês. Mas vamos ao que interessa!!!

Hoje, nós falaremos sobre Mentiras que confortam, da autora Randy Susan Meyers.
O livro conta a história de 3 mulheres que não se conheciam, mas que têm suas vidas cruzadas de forma bem peculiar.

Tia se apaixonou por um homem casado, Nathan. Durante alguns anos, eles viveram um romance bastante tórrido. Eis que Tia fica grávida e, ao contar a Nathan, este pede que ela faça um aborto, pois essa gravidez poderia acabar com seu casamento, e ele não queria isso. Diante de tal absurdo, Tia decide se afastar dele, sem deixar de amá-lo, e toma uma difícil decisão: iria entregar sua filha para adoção, pois não iria suportar olhar para o bebê e lembrar de seu grande amor.

Caroline foi a mulher escolhida para adotar a filha de Tia. Porém, ela nunca teve certeza se iria desenvolver bem o papel de mãe, mas cedeu a pressão de seu marido Peter para formarem uma família completa. Mas Caroline ficava totalmente dividida entre sua vida profissional e a familiar, sempre prevalecendo mais a primeira.

Juliette considerava sua vida com seu marido Nathan extremamente perfeita. Sua vida era completa, pois, além de ter uma família bem estruturada, também tinha muito sucesso profissional. Seu mundo começa a desmoronar quando seu marido revela que havia tido um caso. Ele promete que nunca mais iria trair, mas como conviver sempre com a dúvida de uma possível traição?

Após 5 anos, Tia ainda não superou a perda de Nathan, e decide mandar para ele fotos de sua filha. O que Tia não sabia era que sua carta iria ser interceptada pela esposa de Nathan, Juliette, e esta decide investigar e conhecer melhor sobre a família que havia adotado a filha bastarda de seu marido.

O destino dessas três mulheres se encontram mais uma vez através da pequena Savannah. Juliette sente que, mesmo tendo sido mais uma vez enganada pelo marido, a menina tem direito de conhecer os irmãos, os avós, e até mesmo o próprio pai. Ao mesmo tempo, Nathan está confuso, pois acreditou que Tia havia feito um abordo. Tia está com a vida mais bagunçada que sua mesa de trabalho. A paixão por Nathan se perpetuou pelos últimos anos e o envio das fotos reacendeu a esperança de que ele poderia procurá-la. Enquanto isso, Caroline tenta de todas as maneiras ser uma mãe melhor, mesmo que seus instintos não sejam tão maternais. 

Nessas idas e vindas, as 3 se deparam em uma luta pelo amor e pela confiança... ah,  e a pergunta "por que não ser mãe de uma linda menininha?" aparece para elas. Uma história que nos deixa conectados com as personagens e, a cada capítulo, ficamos querendo desvendar mais a história... como diz na contracapa do livro: “Ainda que você não concorde com as escolhas feitas pelos personagens, é difícil não apreciar a honestidade de Mentiras que confortam.”

***********
Essa é uma história narrada sob o ponto de vista de quatro personagens: Tia, Juliette, Caroline e Nathan. É muito esclarecedor saber o que cada um está pensando dessa situação tão incomum. Todos os personagens estão cercados de mentiras, e isso dá um pouco de raiva no início, já que, a cada mentira, mais e mais problemas vão sendo criados, e menos os personagens conseguem se acertar.

Quando comecei a ler o livro, a história não havia me convencido muito, porém, a cada capítulo, ela vai te envolvendo de uma forma que você fica doido para chegar logo ao final e ver o desfecho.

Não curto muito histórias de traições, até porque fico me colocando na pele do personagem, mas, neste livro, o tema é abordado de uma forma bem sutil, sem a libertinagem que é característica de histórias de traição.

Sem revelar muito spoiler, preciso falar que fiquei me colocando no lugar de Juliette e que, fato, nunca iria perdoar esse marido. Pô, a mulher era tudo. Uma boa dona de casa, levava dinheiro pra casa, pois era uma empresária de sucesso, era uma mulher bonita, e o cara vai procurar outra na rua?? 

Ahhh, me desculpem os homens, mas um cara desse merecia era uma surra, isso sim.

Não concordei também com a atitude de Tia de colocar o bebê para adoção. Só porque se decepcionou com o cara, vai largar a criança que nada tem a ver com isso?? Achei uma atitude bastante egoísta e covarde. Nunca iria descontar minha frustração amorosa em uma criança que não pediu para vir ao mundo.

Esse é um livro interessante que nos faz refletir sobre dilemas do cotidiano e com alguns pontos de vista a serem analisados por nós leitores.

Se pudesse atribuir uma nota de 0 a 10, eu daria 7, pois o final eu esperava mais....

Bom, vou ficando por aqui e espero ver a opinião de vocês, ok???

E aguardem, pois surpresas irão acontecer no Tbw Br.

Beijokas e boa leitura a todos,

Flay


2 comentários

  1. Amei demais essa resenha... esse livro parece ser top mesmooooo!
    Traição sempre é um tema delicado e parece que a autora soube como trabalhar bem com ele! Uhuum... agora, estou bem curiosaaaaa!

    ResponderExcluir
  2. Olha eu aqui.... Hahahahaha!
    Eu não sei o que falar desse livro. Ao mesmo tempo que eu achei interessante a sinopse eu tenho receio de achar ele bobo. Mas os temas abordados nele são bem interessantes, principalmente o fato de contar várias histórias dentro de uma história maior. Eu não sei se você leu "A Cidade do Sol", no caso de não ter lido, leia. Você vai gostar. São duas histórias narradas separadamente que depois se encontram e passam a contar uma nova história.
    Enfim, parabéns pela resenha. E cria vergonha nessa cara e vai visitar o Brainstorm. Beijos Flávia.

    ResponderExcluir